quarta-feira, 23 de novembro de 2011

O lobo da estepe, Hermann Hesse

“... haja o que houver, pelo menos fui feliz uma vez, meu olhar teve brilho, libertei-me de mim mesmo...”
O lobo da estepe



Quem deseja se aventurar pela narrativa de Hermann Hesse deve desarmasse das ferramentas adquiridas em experiências outras. Hesse é inédito e deve ser lido como tal. É sugerida uma leitura ingênua, de criança que aceita ler uma segunda vez, supondo que nada entendeu da primeira.

A história fala sobre as descobertas de um homem que passou dos 50 anos, Harry Haller. Descobertas sobre si próprio, que o dividiu em homem e lobo. “... nele o homem e o lobo não caminhavam juntos, nem sequer se ajudavam mutuamente, mas permaneciam em continua e imortal inimizade e um vivia apenas para causar dano ao outro...”. Haller apresenta ao leitor o pesar que é viver com tamanha dualidade dentro de si. Uma divisão que transborda de seu íntimo para o ambiente e às vezes repudia a sociedade ou se faz amigo da burguesia.

Os sentidos que Harry emprega para a própria vida mudam quando ele encontra o teatro mágico. Através da magia do teatro, Harry sobe no palco para dar novo sentido aos seus amores. Olha no espelho e percebi que nele habita muito mais do que apenas o homem e o lobo, descobre-se múltiplo. “Sua vida (como a vida de cada um dos homens) não oscila simplesmente entre dois pólos, tais como o corpo e o espírito, o santo e o libertino, mas entre mil, entre inumeráveis pólos”. Haller encara a vida como um jogo, reorganiza as peças colocando cada personagem na devida prateleira da importância. Tudo isso porque no teatro tudo é possível. “... tudo não passa de símbolos, onde não existe nenhuma realidade”.

Como o próprio autor sugere em suas notas, O Lobo da Estepe não narra apenas as aventuras de Harry, mas busca uma reflexão sobre a vida humana.

Hermann Hesse nasceu em 1877, na Alemanha. O autor sofreu influências da psicanálise e do budismo (Prêmio Nobel de 46). Foi contra a burguesia, as convenções sociais e engajou-se contra o militarismo alemão durante a Primeira Guerra Mundial.

Referências:
http://educacao.uol.com.br/biografias/hermann-hesse.jhtm

Texto recomendado:
http://biblioteca.folha.com.br/1/16/2000051301.html

Imagem:
http://2.bp.blogspot.com/-wkNtvNbTCo8/Tfe8j8JomPI/AAAAAAAAAbk/ceSgDg9QkUQ/s1600/O+Lobo+da+Estepe+%2528capa+livro+G%2529.jpg

Nenhum comentário:

Postar um comentário


Vai comentar?

Escreva algo construtivo, mostre que tem algo a contribuir!

Reclamações, dúvidas ou sugestões também são bem vindas...

Agradeço a colaboração