domingo, 25 de setembro de 2011

Tolkein, aos meus amigos!


Não haveria de ser por outra via que está excepcional obra chegaria em minhas mãos, ela veio pela via devida, pelo caminho da estima. As obras de Tolkien não são outra coisa se não um tratado sobre a relação mais nobre que o homem estabelece: a amizade.

O Hobbit esconde atrás da fantasiosa história de Bilbo, os anões e Gandalf, um relato sobre coragem, superação e bondade, todas elas exercidas sobre o assoalho firme do apreço. Junto aos hobbits do Condado eu agradeço pelos meus amigos. Amigos reais que me acrescentam, amigos de hoje, de ontem e amigos que virão... Que possamos ser uma boa equipe, pois assim como os anões da narrativa de Tolkien, não conseguimos ir atrás de nossos tesouros sozinhos é preciso amar para acrescentar forças!

A Saga do Anel mostra que muitas vezes não escolhemos, mas a vida nos escolhe (assim como aconteceu com Frodo) e que a loucura de cumprir o que devemos fazer pode ser amenizada se tivermos uma comitiva conosco. O autor sabe que muitas vezes o que sustenta o protagonista é um bom coadjuvante. Os heróis mais próximos da vida real são aqueles que não tem todos os poderes consigo, mas que precisa do bem de outros para ter sucesso. E o que é Samwise se não a sustentação de seu mestre? - “Não vá para onde eu não possa segui-lo!” É o clamor do fiel Sam ao debruçar-se no corpo aparentemente morto de Frodo. Tolkien não cria uma porção de seres imaginários, um mundo fantástico e depois tenta aplicar uma verdade a isso, ele faz o inverso, usa da verdade, de sentidos e sentimentos e os floreia com esse mundo fantástico.

IMAGEM: http://4.bp.blogspot.com/_xTxBAxxzBaE/TRNrQuW4nlI/AAAAAAAAAQ8/8YEtZ4FUAiM/s1600/18.jpg

---------------------------------------------

Para a segunda metade desde ano de 2011 tracei como uma de minhas metas a leitura de O Senhor dos Anéis, desta vez todos os três volumes seguidos e ininterruptamente. Assim como todos os que amam a literatura de Tolkien, estou aguardando a adaptação para o cinema de O Hobbit.

Um comentário:

  1. Gostei do texto! Uma boa interpretação da intenção do autor de, de certa forma, exaltar o poder da amizade. Realmente seria bom se existissem mais amizades como a de Sam e Frodo... ou mesmo mais pessoas dispostas a investir em amizades assim. Certamente o mundo seria mais cooperativo que competitivo...

    ResponderExcluir


Vai comentar?

Escreva algo construtivo, mostre que tem algo a contribuir!

Reclamações, dúvidas ou sugestões também são bem vindas...

Agradeço a colaboração